NEBRASKA (2013, Alexander Payne)



A Velha América, mítica e decadente, ainda tem alguma vida própria.
Alexander Payne produz, em NEBRASKA — o melhor filme do realizador desde AS CONFISSÕES DE SCHMIDT (2002), o qual era, de forma curiosa, igualmente cimentado num protagonista em conflito com a sua própria velhice —, não só uma comédia agridoce sobre reconciliação humana com o passado, como também opera a descrição nostálgica e sombria de um Sonho Americano que há muito se esfumou. Dinheiro fácil, pacíficos churrascos em família e vivências optimistas são algo digno dos tempos em que os filmes eram a preto e branco.


The Old America, mythic and decaying, still has some life of its own.
Alexander Payne delivers, with
NEBRASKA — the director's best movie since ABOUT SCHMIDT (2002), which, incidentally, was also based on an old man in a collision course with his own ageing —, not only a sweet-and-sour comedy about human reconciliation with the past, but also frames a nostalgic and dark portrait of a long vanished American Dream. Easy money, peaceful family barbecues and upbeat lives are something worthy of the times when movies were in black-and-white.




  • . Ficha Técnica / Credits:
Realização / Directed byAlexander Payne
Produção / Produced byAlbert Berger, Ron Yerxa
Argumento / Written byBob Nelson
Fotografia / Cinematography byPhedon Papamichael
Música / Music by Mark Orton
Elenco / CastBruce Dern (Woody Grant), Will Forte (David Grant), June Squibb (Kate Grant), Bob Odenkirk (Ross Grant), Stacy Keach (Ed Pegram)
Ano / Year of release2013
País / CountryEUA / USA

Comentários

  1. Nebraska tornou-se facilmente o meu favorito do ano e não tinha qualquer expectativa acerca dele antes de o ver. É uma obra-prima. Óptima crítica.

    Cumprimentos cinéfilos :*

    ResponderEliminar

Publicar um comentário